website page view counter

Folha Regional Online

Domingo, 2 de Junho de 2024

Palmeiras

Com bicicleta de Rony, Palmeiras empata e se mantém na liderança

Jogo equilibrado terminou em 1x1 no Maracanã

Ely Damasceno
Por Ely Damasceno
Com bicicleta de Rony, Palmeiras empata e se mantém na liderança
www.uol.com.br
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O Palmeiras segurou empate por 1 a 1 contra o Fluminense no Maracanã, na noite de hoje (27), e manteve intacta a sua vantagem na liderança do Brasileirão. Rony abriu o placar com um golaço de bicicleta, Manoel empatou na bola parada, e o Tricolor pressionou até o final sem encontrar caminho para virar. O Palmeiras segue como líder disparado, com 50 pontos e oito de vantagem para o próprio Fluminense. Esta vantagem só diminui se o Flamengo (40 pontos) vencer o Botafogo amanhã (28) e retomar a vice-liderança do Brasileirão.

Curiosamente, o próximo adversário de Palmeiras e Flu é o mesmo: o Athletico. O Alviverde visita a Arena da Baixada na terça-feira (30), no jogo de ida das semifinais da Libertadores; já o Tricolor das Laranjeiras vai ao Paraná no sábado (3), pelo Brasileirão.  Atuação do Flu: Altos e baixos com a bola no pé O Fluminense tentou aumentar a intensidade do "Dinizismo" nos primeiros minutos, mas aos poucos baixou a linha de marcação e viu o Palmeiras incomodar. Tomou o gol em um lance isolado, voltou a pressionar com a bola, mas sem o sucesso de outros jogos. No segundo tempo encontrou algumas oportunidades mais claras, mas não conseguiu a virada.

Atuação do Palmeiras:

Sufoco e pouca inspiração O Palmeiras jogou com o regulamento debaixo do braço, consciente da vantagem que defende no Brasileirão e da decisão que tem daqui a três dias. Marcou bem o Fluminense, esfriou o jogo sempre que possível e por isso quase não esteve exposto, mas também não se dispôs a tentar atacar mais. Administrou, mas nos minutos finais passou apuros.

O melhor do Flu:

Samuel Xavier Foi importante principalmente quando o Fluminense era apertado na saída de bola, pois ajudou muito a ligar os setores e fazer a equipe girar a bola. Apesar de ter perdido algumas bolas, foi seguro na marcação de Gustavo Scarpa e deu duas bolas a companheiros que poderiam ter terminado em gol: uma para Cano, outra para Nathan.

O pior do Flu:

Cano não se encontra O artilheiro do Flu na temporada não esteve nas melhores noites e apareceu pouco. Ajudou na hora de marcar, mas perdeu chances importantes que mudariam o jogo: um contra-ataque em três contra um, depois uma enfiada de bola de Samuel Xavier que terminou no travessão.

O melhor do Palmeiras:

Rony se destaca por golaço O Palmeiras não teve grandes atuações individuais, mas Rony naturalmente foi o melhor pelo golaço de bicicleta que fez. Foi este lance de felicidade, ainda aos oito minutos, que permitiu que o Palmeiras administrasse o jogo dali em diante. Menção honrosa a Gustavo Gómez, que praticamente anulou Germán Cano.

O pior do Palmeiras:

Veiga não consegue jogar Raphael Veiga esteve longe de seu melhor desempenho pelo Palmeiras e ilustrou bem a atuação ofensiva ruim do time como um todo. Acabou substituído por Wesley no segundo tempo. Famosa bicicleta de Rony abre o placar A bicicleta de Rony já virou marca registrada da temporada do Palmeiras. Depois de tanto tentar, o atacante fez um gol assim contra o Cerro Porteño, no mês passado, e repetiu a dose com ainda mais estilo no Maracanã. Gol de placa aos oito minutos, após cruzamento de Dudu.

Flu só encontra caminho na bola aérea

Desde o início, o Palmeiras ficou menos com a bola e marcou forte para quebrar o ritmo do Fluminense. Foi um controle sem bola, que a bicicleta de Rony ampliou, e a certa altura o Alviverde parecia mais perto de acertar mais um contra-ataque do que de ceder o empate. A bola parada mudou isso: no primeiro escanteio do jogo, já aos 38 minutos, Manoel subiu na primeira trave e testou firme para empatar. Uma finalização certa para cada lado, 1 a 1.

Scarpa alcança Cano e salva Palmeiras

Aos 11 do segundo tempo, um escanteio do Palmeiras virou um contra-ataque com três jogadores do Fluminense contra um único defensor. No entanto, Scarpa correu mais do que Germán Cano e dividiu para afastar o perigo. O próprio Scarpa havia cobrado escanteio, e o pique salvou uma chance clara do Tricolor.

Flu melhora, mas para na trave

O Fluminense conseguiu ser bem melhor nos vinte minutos finais do jogo. Chegou com maior frequência, pegou o Palmeiras desprevenido e teve duas grandes chances para virar, mas ambas pararam na trave. A primeira foi de Cano, após cruzamento nas costas da zaga alviverde; e a segunda foi em desvio de Ganso após chute de Arias. Por centímetros o segundo gol não saiu.

Vaias a Scarpa

Hoje no Palmeiras, Gustavo Scarpa foi bastante vaiado pela torcida do Fluminense. O meia defendeu o Tricolor por três anos e saiu das Laranjeiras em 2017 em meio a um imbróglio judicial, inclusive tendo ficado mais de três meses sem jogar por causa da disputa nos tribunais. "Os caras não me pagavam e não me deixavam sair", chegou a dizer o jogador. Este foi a nona vez que Scarpa enfrentou o ex-clube.

FONTE/CRÉDITOS: www.uol.com.br
laboratório
laboratório

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!