Folha Regional On line

Notícias SAÚDE

Mulher recebe doses de vacinas diferentes contra Covid-19 em Ibiporã

Paciente só percebeu o erro em casa ao conferir a etiqueta na carteira de vacinação

Mulher recebe doses de vacinas diferentes contra Covid-19 em Ibiporã
Ilustração vacinas/Redes Sociais
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

     O que era motivo de alegria se transformou em indignação de um dia para o outro. Uma paciente que pediu para não ser identificada, após tomar a vacina contra Covid-19 descobriu que as duas doses que lhe foram aplicadas eram de imunizantes diferentes. Na carteirinha de vacinação que nos apresentou, consta que ela tomou uma dose da vacina de Fiocruz em 21 de julho e uma da Pfizer em 20 de Outubro, ou seja, na data de ontem. O erro, segundo a paciente foi confirmado por uma servidora da Secretaria Municipal de Saúde.
      Apesar das duas vacinas terem o uso aprovado pela Anvisa no Brasil e são usadas no programa de imunização, supõe-se que o protocolo indica que quem toma a primeira dose de uma deve tomar a segunda dose do mesmo imunizante. Não há comprovação de eficácia da imunização quando o paciente recebe doses da vacina de diferentes fabricantes.
     A paciente que reside no Jardim San Rafael, está apavorada com o suposto erro. A princípio chegou a pensar que era apenas um erro na etiqueta, porém na data de ontem, as vacinas ministradas eram a mesma do Laboratório Pfizer, do Lote FG3533 com validade até 31 de janeiro de 2022. 


“Eu só fui perceber quando cheguei em casa e fiquei muito apreensiva. Questionando um profissional de saúde se poderia incorrer em algum efeito colateral indesejável ou de risco à sua saúde, foi informada que não teria problema. Me disseram até que já estavam ministrando a terceira dose com esta vacina. Mas no meu caso, quem garante que estou imunizada? Com uma dose de cada vacina, fica faltando a segunda de uma delas de qualquer forma”, questionou. 
     Conforme orientação do Ministério da Saúde estes casos precisam ser notificados. Além disso, a paciente precisa ser orientada sobre o processo de acompanhamento que deve ser realizado diante do ocorrido. Ainda segundo o Plano Nacional de Imunização, caso ocorra a vacinação inadvertida com duas vacinas diferentes, o erro de imunização deverá ser notificado e a dose deverá ser considerada válida, não recomendando a administração de doses adicionais de vacinas Covid-19 neste momento.
     Ainda preocupada, a vítima do erro disse a nossa reportagem que esta tarde, iria procurar o setor responsável na Secretaria de Saúde e formalizar a reclamação. Em caso de erro, iria conversar com o marido sobre qual providência tomar. Também vai em busca de informações sobre a questão de risco quanto a possíveis evento adverso ou efeitos colaterais. “Estamos nos sentindo como cobaia nesta pandemia. Ao que parece, estas vacinas ainda não nos proporcionam segurança. Os responsáveis deveriam estar mais atentos ao que estão aplicando. Agora terei que fazer um exame para medir o nível de imunização que tenho”, comenta a paciente. Por ocasião do agendamento, o cidadão leva em conta que vai receber o mesmo imunizante da dose anterior ser aplicado. É de praxe que os profissionais de saúde sejam instruídos a dizer aos usuários, que tipo de vacina está sendo aplicada naquele momento de esquema vacinal para a segunda dose, o que não aconteceu. Fato que só foi percebido pela paciente, posteriormente.
Como diria o Galvão Bueno na transmissão do futebol..._Pode isso, Arnaldo?

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!