Folha Regional On line

Notícias REGIONAL

Uma pessoa morre, e duas ficam feridas após queda de avião de pequeno porte, em Arapongas, diz PM

Segundo gerente do Aeroporto de Arapongas, homem de 50 anos era dono do monomotor e morreu no local; vítimas sobreviventes foram levadas para o Honpar

Uma pessoa morre, e duas ficam feridas após queda de avião de pequeno porte, em Arapongas, diz PM
Fotos:Giovanna Machado/G1
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

    Um experiente instrutor de paraquedismo de 51 anos, identificado como Luis Carlos Vieira, morreu na queda de um monomotor na tarde de sábado no Aeroporto Municipal Alberto Bertelli, em Arapongas.  Outros dois passageiros estavam na aeronave que pertencia ao paraquedista também ficaram gravemente feridos, um deles, filho da vítima de 18 anos e o piloto. Órgãos de segurança, o Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atenderam a ocorrência.  O corpo de Vieira que morreu no local foi encaminhado ao IML de Arapongas e posteriormente liberado para o velório.

   Segundo o Corpo de Bombeiros Os dois sobreviventes foram encaminhados Hospital Norte Paranaense (Honpar). Testemunhas contaram que o avião ao aterrissar, tocou com a ponta de uma das asas no chão, ainda na cabeceira da pista numa manobra "esquisita". O piloto teria tentado uma "arremetida", manobra de retomada de aceleração e velocidade para reequilibrar a aeronave, porém sem sucesso. O avião fez um giro e caiu com o "trem de pouso" voltado para cima e arrastou-se por cerca de 80 metros na grama.  Com o impacto, Vieira que também era comandante, teria sido arremessado e ficou embaixo da aeronave. Segundo informações apuradas, o grupo de Arapongas não estaria participando do evento de Paraquedismo que ocorreu no final de semana no Aeroporto 14 Bis, na Warta. Era apenas mais um rotineiro vôo de passeio já que não havia saltos programados para sábado. Vieira era um profissional com vários anos de saltos de paraquedas e membro de um clube de paraquedismo da cidade.  "Aconteceu algo de extraordinário porque nada explica um acidente desse porte. Foi no começo da pista, então, na minha opinião, deve ter errado o eixo da pista e tentou arremeter.", contou o administrador do aeroporto de Arapongas, José Antonio Wielewicki.

   

Vieira era instrutor de paraquedismo com anos de experiência: (Fotos redes sociais)

 O Infraero e o Cenipa - Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos está encarregado de investigar o acidente e realizar a perícia no local e somente então o avião poderá ser retirado do local.  No momento do acidente, não havia movimento no aeroporto que apresentava boas condições climáticas, sem vento e com visibilidade plena o que sugere que algum imprevisto tenha ocorrido na aproximação para pouso. Dados do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), a aeronave Cessna 172 é um modelo N-592-420 e estava com seu registro em situação regular junto a  Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A aeronave passava por revisões periódicas e estava autorizado a realizar vôos de instrução de paraquedismo em espaço aéreo delimitado para tal. Viieira era casado e, além do filho de 18 anos que estava no avião no momento do acidente, também deixa uma filha de 14 anos. O velório ocorreu na capela do Prever, em Arapongas, e o sepultamento ocorreu as 16h na tarde de ontem (26), no Cemitério Municipal de Arapongas.

FONTE/CRÉDITOS: Colaborou/Giovanna Machado, RPC Londrina
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )