Folha Regional On line

Notícias LOCAL

Retomada de Convênio pelo Estado, pode beneficiar zona rural de Ibiporã

Indicação de Rafael Eik Ferreira, pode ser “carta marcada” com informação privilegiada

Retomada de Convênio pelo Estado, pode beneficiar zona rural de Ibiporã
Tribuna do Paraná/Divulgação/PM Goioerê
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Pavimentação com pedras poliédricas é comum nos EUA. Lá a mão de obra é executada por presos com a redução de pena

      A pavimentação asfáltica das estradas rurais tem sido, ao longo dos últimos anos, um grande diferencial para o agronegócio em vários municípios, como já abordamos aqui. O município de Toledo, lidera há sete anos o ranking estadual do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), graças a uma parceria com os produtores rurais da região que bancam a contrapartida de 30% da obra e 70% para a prefeitura. Há que se levar em conta que grande parte da arrecadação municipal se dá a agricultura local, cujo PIB é um dos maiores do Paraná. Mas voltando ao pavimento asfáltico na zona rural, uma necessidade real porém também uma realidade utópica para os ibiporanenses, se fosse nos moldes de como ocorreu em Toledo.
     Logo a saída para tornar este sonho em realidade, seriam investimentos vindos de outra esfera, como do governo estadual, por exemplo.             Porventura a indicação do vereador Rafael Eik Ferreira (PSD), filho do prefeito, estaria já atrelada com informação privilegiada de um aceno do governo a retomada de um convênio milionário suspenso no governo Beto Richa?
     Estaria o vereador tirando proveito do estreito relacionamento do prefeito com o governador?
     Senão vejamos: asfaltar a zona rural sem recursos de fora é utopia, conforme já abordamos aqui. O município já anunciou obras de asfalto que nunca saíram do papel. Isto também é fato. Ninguém viu um metro de asfalto dos R$ 15 milhões destinados a “Estrada dos Pioneiros”.
     Logo, o vereador não faria uma indicação dessas se não tivesse informação privilegiada de um futuro investimento no município com esta finalidade. Nossa reportagem obteve a informação em Curitiba esta manhã com nossa correspondente, Hatsue Kajihara de que a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística está retomando os convênios para pavimentação e melhorias de estradas rurais de 27 cidades do Norte e Norte Pioneiro do Estado suspensos em meados de 2017 no governo Beto Richa. 


     Pavimentação com pedras poliédricas seguido de massa asfáltica na região de Goioerê

Segundo levantamento, ao todo cerca de 350 mil moradores seriam beneficiados com as obras não fosse a suspensão dos convênios.
     Estima-se segundo uma fonte no Palácio Iguaçu, que o governador Carlos Massa Ratinho Junior, estaria disposto a investir através da secretaria R$ 21,3 milhões, sendo que R$ 19,2 milhões são do Governo do Paraná e R$ 1,06 milhão de contrapartida dos municípios. Impossível não aceitar um convênio desses, dado ao custo benefício da obra.
     Logo, fica notório que o prefeito de Ibiporã, José Maria Ferreira, de posse dessas informações, apressou o filho a tirar vantagem política com a indicação o que não é ilegal, mas imoral. Por outro lado também, ficaria mais bonito e justo, convocar os vereadores da base para assinarem juntos a indicação e assim, em conjunto demonstrariam união e estarem trabalhando para o progresso do município.  Agora, se vai acontecer, é outra história. 
     Segundo informações, estes investimentos incluem obra de pavimentação, com asfalto ou pedras poliédricas, também conhecidas como “paralelepípedos ou pedras cortadas como eram antigamente” (e não paver como apontou o vereador). Vale lembrar que em Ibiporã, localiza-se um dos maiores fornecedores de matéria prima para este tipo de obra no sul do país.  A previsão numa primeira etapa seria pavimentar pouco mais de 100 quilômetros nos municípios contemplados. É pouco, mas já é um começo!
     Nossa reportagem não conseguiu levantar informação de quantos quilômetros podem ser pavimentados em Ibiporã, cuja previsão já existia desde 2017 quando o convênio foi suspenso. Os administradores anteriores João Coloniezi, e Beto Baccarim, tinham informações sobre o convênio porém, não criaram falsas expectativas, para não acontecer como a Estrada dos Pioneiros do atual prefeito. Obviamente não queriam uma propaganda mentirosa para tirar proveito político. Quem os conhecem bem, sabem disso!


      A possibilidade de Ibiporã assinar este convênio, pode ocorrer ainda no próximo mês, entretanto, há que se fazer um planejamento de qual local se iniciaria a pavimentação, adequação de drenagem, colocação de meio-fio e reconstrução de aterro etc.  Se bem que poderia começar pela folclórica Estrada dos Pioneiros que num estudo preliminar demandaria cerca de R$ 1,2 milhões por quilômetro numa obra bem feita. 
      Não há dúvida que a pavimentação com pedras ajuda a melhorar as condições de trafegabilidade das estradas rurais, permitindo o escoamento da produção, mas também facilitando a circulação do transporte escolar, viaturas da Polícia Militar ou ambulâncias para atendimentos de emergências. Ainda segundo informações levantadas na capital, a fiscalização, medição e controle destas obras ficariam sob a responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) na medida em que o governo daria recursos para os municípios comprarem asfalto (o CBUQ -Concreto Betuminoso Usinado a Quente) ou aproveita as pedras poliédricas para melhorar as estradas vicinais.             Além de Ibiporã, nossa reportagem levantou que também a zona rural de Jataizinho, e São Sebastião de Amoreira estariam entre os municípios beneficiados da região. E tome vereador fazendo indicação com obra do estado!

FONTE/CRÉDITOS: Hatsue Kajihara/AEN/
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!