Folha Regional On line

Notícias LOCAL

Moradores apontam para serviço mal feito na rua Poço Bonito

Falta de qualidade no serviço executado, coloca em dúvida interesse da prefeitura em resolver problema 

Moradores apontam para serviço mal feito na rua Poço Bonito
Folha Portal/Ely Damasceno
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Moradores apontam para serviço mal feito na rua Poço Bonito

Falta de qualidade no serviço executado, coloca em dúvida interesse da prefeitura em resolver problema 

Difícil de acreditar, mas é assim que a prefeitura diz que resolveu o problema da nascente que escorre na rua

  Até parece que é pouco caso. O “trabalho” paliativo executado ao longo da rua Poço Bonito na Vila Esperança em Ibiporã, está longe do profissionalismo que se exige de uma secretaria de obras municipal. Parece coisa de amador, o chamado serviço “porco”, como se diz na gíria. As necessidades dos moradores que se utilizam da rua Poço Bonito para acessar ao bairro e ao condomínio de chácaras após o Córrego Irara,  vão além de um tapa buracos mal feito, e parte da via, interditada por uma coluna de asfalto para desviar o curso de água que vem de uma nascente na rua Taquara do Reino .

     O que foi feito alí, é um absurdo, um atestado de incompetência, uma afronta ao cidadão que paga impostos e tem o direito de exigir do poder público uma atenção melhor. O que foi feito alí, “é passar a mão na cara do cidadão.”  No mesmo local, do outro lado da rua, há um buraco vazamento fétido, provavelmente vindo da galeria de esgoto. O que fizeram? Colocaram pedaços de asfalto sobre o buraco para “camuflar o problema” e o vazamento continua com a fedentina.

Camuflada com pedaços de asfalto e mato, vazamento de suposta rede de esgotos continua ao ar livre 

     A pergunta dos moradores das imediações é: “Quando é que a administração municipal vai resolver este problema de uma vez"? Sequer se tem notícias de que alguém “competente” na secretaria de obras foi lá para estudar o problema. “Vieram aqui, somente jogaram o asfalto dentro dos buracos, bateram com as costas da pá, fizeram esta mureta de asfalto que ocupa metade da rua, e deixaram assim, como o senhor está vendo”, contou uma moradora. “Agora a água que escorre da mina, vai para dentro daquele quintal alí”, apontou.
     Enquanto nossa reportagem ouvia a moradora, um motorista se aproximou e parou. “Acha que tem condição a prefeitura fazer um serviço desses? Questionou. “O material  colocado nos buracos foi compactado com uma pá. O que me revolta é a forma como eles fizeram, o desleixo. Metade da rua não passa carro, e a porcaria de tapa buraco já está saindo tudo. Porque o asfalto não assentou e nem vai. Está tudo esfarelando”, diz o cidadão. Na verdade a população já está de saco cheio com as “medidas emergenciais ou paliativas” como costuma se referir a administração quando questionada. Estas ações já não cabem mais na paciência do contribuinte que paga caro para ter um serviço mal feito. É desperdício de material, de mão de obra e de tempo. Um outro problema, ocorre na rua onde o Samae abriu uma valeta e deixou o buraco sem recape. Com a chuva o problema aumentou e o buraco também por falta do recape no local. Segundo os moradores o Samae já executou o trabalho lá há um bom tempo e só cobriu de terra.
Uma atenção melhor para aquela comunidade, não é nenhum favor, é uma obrigação da prefeitura. Protocolo neles!

Esta água escorre dia e noite há anos, e o problema não é resolvido de forma definitiva

Samae quebrou o asfalto para executar obra mas deixou o buraco apenas coberto por terra

Cratera na rua Guaraní, vai ficando cada vez maior a cada chuva. Cadê o recape asfáltico? Melhorias, só no carnê do IPTU?

FONTE/CRÉDITOS: Folha Portal/Ely Damasceno/Fiscaliza Ibiporã/Samuel Donansan
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!