website page view counter

Folha Regional Online

Domingo, 2 de Junho de 2024

Local

Mato alto nos canteiros que separam as vias marginais preocupa frequentadores de supermercado

Considerando que muitos cidadãos vão a pé até o Super Muffato, o mato alto preocupa quem precisa atravessar a BR-369

Ely Damasceno
Por Ely Damasceno
Mato alto nos canteiros que separam as vias marginais preocupa frequentadores de supermercado
Folha Portal/Ely Damasceno
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

     A falta de manutenção nos canteiros que separam as vias marginais da BR-369 nos dois sentidos continua gerando críticas de munícipes sobretudo com relação ao mato alto. O ritmo de crescimento da vegetação, acelerado pelas chuvas acumuladas até dias atrás, estão desproporcionais à velocidade do serviço de capinação, deixado a desejar.  As queixas, desta vez, também chegaram até este portal de notícias por consumidores que frequentam rotineiramente o hipermercado Super Muffato na avenida marginal Ronat Walter Sodré e precisam atravessar a pé a rodovia BR-369, sem redutor de velocidade, e sem faixa de pedestres elevadas.  O mesmos também ocorre no lado oposto da via, nos canteiros da avenida marginal Luiz Carlos Zanni.

    Uma moradora da rua das margaridas no Jardim Malibú, reclama que o mato representa um risco para os pedestres e formaliza um apelo para que a secretaria de obras tome alguma providência, considerando que a capinação e limpeza das marginais da rodovia melhora o aspecto visual na entrada da cidade e contribui para a segurança. "Do jeito que está, daqui há uma semana, quem precisa atravessar a pé não encherga o tráfego de veículos na BR, especialmente à noite, o que pode acabar colocando em risco a vida de pedestres", reclamou. 

  Ela ressalta que há sempre uma expectativa da população a cada troca de prefeito com relação a tomar alguma providência no local, principalmente no tocante a segurança e, para a decepção de todos, entra prefeito e sai prefeito e nada acontece.  "Já ouvimos falar até num projeto de passarela aqui com a contribuição dos empresários do hipermercado em contrapartida pelo que arrecadam no município, mas não vejo ninguém cobrar de fato, o Muffato", observa.
Publicidade

Leia Também:

 
Sem redutor de velocidade, sem faixa elevada, e sequer  indicação de travessia de pedestres  pintada no asfalto
    Segundo a moradora, o que as pessoas mais aguardavam desde o início desta administração era justamente um cuidado maior com o básico para a segurança.  "Até cobra já vimos aqui e já levamos a reclamação até junto ao D.E.R. mas fomos informados que os canteiros nas marginais são de responsabilidade da prefeitura e não do Estado.  Até entendo que a administração vem enfrentando este tipo de problema por toda a cidade mas, há que se considerar que aqui é uma área de grande risco pelo grande números de pessoas que passam diariamente por aqui", ressaltou.  Outro cidadão morador da rua Pedro Volponi reireta que a reclamação geral.
   "No tempo do João da Caixa, os canteiros eram sempre bem cuidados mas hoje parece que é esquecido. Até o monumento do cinquentenário chegou a virar depósito de lixo e tomado pelo mato. Sem falar no perigo que é atravessar as duas faixas de rolamento dessa BR sem nenhuma segurança".
FONTE/CRÉDITOS: Folha Portal/Ely Damasceno
Comentários:
Ely Damasceno

Publicado por:

Ely Damasceno

Bacharel em Teologia Theological University of Massachussets USA 1984/1990. Jornalismo pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo. Repórter Gaz.Esportiva, Diários Associados, Estadão/SP, Jornais Dayle Post, em Boston-USA e Int.Press Hyogo-Japão

Saiba Mais
laboratório
laboratório

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!