Folha Regional On line

Notícias SAÚDE

Laboratório de Ibiporã recebe testes para atender toda a região

Seja para detectar Covid ou vírus Influenza A e B, já disponíveis com resultado 1 (uma) hora

Laboratório de Ibiporã recebe testes para atender toda a região
PRE/Divulgação
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

    Enquanto na maioria dos municípios brasileiros faltam testes para a detecção de Covid e dos vírus Influenza A e B, em Ibiporã o Laboratório Carlos Chagas, recebeu  na tarde de hoje, testes suficientes para atender toda a região. Segundo o Portal de Notícias G1 (Rede Globo) manchete de hoje afirma que houve aumento de 50% na procura por exames de gripe e da Covid-19 na rede pública de saúde e, em alguns casos, as análises só estão sendo feitas em casos avaliados como graves.

    A informação foi dada pelos jornalistas Letícia de Oliveira e Walder Galvão, TV Globo (DF), onde afirmam que o presidente do Sindicato dos Laboratórios de Pesquisa e Análises Clínicas, Alexandre Bitencourt, afirmou que testes para detecção do vírus Influenza já estão em falta na rede privada. De acordo com Bitencourt, houve aumento de 50% na procura por exames de gripe e do novo coronavírus, que, custam em média R$ 270. “O volume de testes tem aumentado substancialmente nesses últimos dias, principalmente na última semana de dezembro”, afirmou.
    Em Ibiporã a procura pelos testes não param. Pacientes procuram o laboratório com dúvidas sobre os sintomas e a preocupação para iniciar um tratamento. “É importante destacar que a detecção do vírus Influenza auxilia os médicos no tratamento da doença, uma vez que os sintomas são muito parecidos com os da Covid”, comentou a Bioquímica e Farmacêutica,  Carolina Sacca Colognesi. “A identificação do sorotipo viral não é necessária para que seja iniciado o plano terapêutico e não muda a conduta clínica, que permanece a mesma para todos os casos de síndrome gripal sem complicação. O que preocupa é a crescente taxa de transmissão da Covid e a velocidade com que ela se multiplica nesta nova variante”, explica.
   Aumento da procura por exames tem ocorrido desde última semana de 2021; em alguns locais na rede pública, pacientes não conseguem atendimento, como tem ocorrido em Londrina e como já foi denunciado aqui, embora o município desminta. O que Ibiporã começa a assistir é o resultado da irresponsabilidade do poder público não suspendendo os festejos de final de ano, onde a aglomeração desenfreada por dias, pode ser a causa da crescente demanda no município.
     Estamos diante de um novo cenário epidemiológico e, é preciso avaliar novas alternativas para maximizar a testagem e as medidas de prevenção, tanto à Covid-19 quanto à Influenza, bem como as suas possíveis variantes. Estaria a secretaria de saúde preparada para uma epidemia em massa. Possui testes suficiente para atender a demanda, sem restringir apenas aos casos mais graves, como está ocorrendo em vários lugares?
    Um homem de 29 anos, que não quis se identificar, disse para uma repórter de TV em Londrina que está com sintomas da Covid-19 e decidiu fazer o teste na tarde desta quarta-feira, mas não encontrou o exame em nenhuma UBS da região. “Passei por vários lugares e nada. Ou tinha muita gente na fila e não daria para atender a todos, ou só estavam fazendo testes pela manhã”, disse referindo-se à UBS da Vila Casoni que deveria atender até às 19h00 mas desde às 13h00 já não recebia mais ninguém.
Em Ibiporã, ninguém de fato sabe dizer como está a situação. Não há nada no Portal da Transparência exceto um calendário em branco.

Testes podem acabar por falta de insumos
    Os testes para o diagnóstico da Covid-19 no Brasil podem acabar por falta de insumos, segundo alerta desta quarta-feira (12) da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed). A recomendação da associação é de que os laboratórios priorizem a testagem em pacientes graves, trabalhadores da saúde e outros profissionais essenciais. “Não é possível mensurar nesse momento até quando poderemos atender, mas há um risco real de desabastecimento”, disse em nota Wilson Shcolnik, presidente do Conselho da Abramed.
      Em um comunicado, a entidade disse preparar uma nota técnica para que os laboratórios associados priorizem pacientes, segundo uma escala de gravidade, para efetuarem os testes.
     Segundo a associação, os testes disponíveis devem priorizar: pacientes que tenham maior gravidade de sintomas, pacientes hospitalizados e cirúrgicos, pessoas no grupo de risco, trabalhadores assistenciais da área da saúde, colaboradores de serviços essenciais. A Abramed recomenda, portanto, que pessoas sem sintomas, ou com sintomas leves – mesmo que tenham entrado em contato com infectados – que se isolem, ainda que sem testagem. Entretanto, quem tiver condições, procure um laboratório particular enquanto ainda há testes disponíveis. 

FONTE/CRÉDITOS: Folha Portal/Ely Damasceno/Globonews/G1
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!