Folha Regional On line

Notícias POLÍTICA

Indicação de vereador pede pavimentação nas Estradas Rurais do município

"Asfalto ou Paver", figuram no pedido de Rafael Eik Ferreira para o pai. Será atendido?

Indicação de vereador pede pavimentação nas Estradas Rurais do município
toledoagora.com.br/facebook/Divulgação
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

     

Vereador Rafael Eik Ferreira (PSD): Asfalto na zona rural, realidade ou utopia?

A poeira nessa época do ano sempre foi um problema, seja na cidade ou na zona rural. Na área urbana, a solução só vem com a pavimentação asfáltica, setor onde a Prefeitura de Ibiporã promoveu grandes investimentos na gestão passada com a operação “tapete negro” recapeando as ruas de vários bairros da periferia como Jardim Tupy, Cinquentenário e San Rafael entre outros, além do centro.
     Na zona rural, no entanto, apesar do trabalho de conservação das estradas não pavimentadas, o problema da poeira é inevitavelmente maior, especialmente nos períodos de grandes estiagens o que acaba por provocar infortúnios como problemas respiratórios para as famílias que residem nas propriedades rurais.
     O asfalto na zona rural, quando se trata de promessa de político, para muitos não deixa de ser utopia. Acostumados com falsas promessas ano após ano, o pequeno e médio produtor rural, já não acredita mais na possibilidade de um dia, contar com malha asfáltica para facilitar o escoamento da safra e, consequentemente um conformo maior para quem reside e sobrevive da zona rural. Um suposto alento, fica só na promessa, como a conhecida história em Ibiporã do asfalto que ligaria Ibiporã a Londrina pela “Estrada dos Pioneiros”. O maior engodo já contado pelo conhecido político profissional de nossa cidade. Até caravana de puxa-sacos levou na capital para assistirem ao teatro com um enredo nunca concluído.
     Mas porque estamos abordando este assunto?
     A julgar por uma indicação do vereador Rafael Eik Ferreira (PSD), filho do prefeito, está sugerindo e indicando ao pai,  junto à secretaria competente, a iniciativa de expor a necessidade de estruturação das estradas rurais com pavimentação asfáltica ou paver. 
     Muito bem, a luz dos entendidos, estruturação é uma coisa, e pavimentação é outra bem diferente. Outra coisa, expor a necessidade não é preciso porque já é óbvio, porque o asfalto inexiste. Dizer que a indicação “vem amparada na necessidade”, é como chover no molhado. Todo mundo já sabe! Assim como todos também sabem que melhorar a estruturação das vias, só vem contribuir para a melhoria no escoamento da produção agrícola. Não é nenhuma novidade, é uma necessidade urgente. A questão é, será atendido?
      É um assunto sério e não apenas chegar a mídia e servir de promoção pessoal, como fez o prefeito José Maria com a novela da “estrada dos pioneiros” que ganhou destaque em todo o estado. Cadê o asfalto? Lá se foram 12 anos e a estrada continua lá, só na poeira. Apenas Londrina fez a sua parte e o compete a Ibiporã, ficou só no discurso.
    O vereador pode estar bem intencionado, entretanto, desde sua indicação (0416/2021) de 23 de junho, não se moveu uma pá de terra e não se viu um metro de asfalto na zona rural. O compromisso assumido, talvez em campanha, pode não acontecer como a mesma promessa do pai, e seus 15 milhões para a "Estrada dos Pioneiros". Portanto, é preciso cautela para não frustrar a população novamente com falsa expectativa.

É preciso planejamento, recursos e vontade política    

     Em primeiro lugar, “estruturar”, significa estudar a viabilidade e o planejamento em vários trechos das estradas como a verificação do estado de conservação, largura, declividade, altura do barranco, presença de ravinas e disponibilidade de material para ser transportado etc. Não é só colocar no papel, vamos asfaltar a zona rural com paver! Existe todo um processo que exige estudo de engenharia e logística além de necessário prever o real fluxo de tráfego  máquinas agrícolas, tratores, caminhões, caminhonetes e outros tipos de veículos que transportam hortifrutigranjeiros que nos dias de hoje, contribuem para o excesso de poeira em tempos de estiagem. Só depois de um estudo aprimorado é que opta-se pela pavimentação adequada.
     Há municípios que hoje estão reaproveitando, resíduos retirados de asfalto comprometido (também chamado de asfalto reciclado) para amenizarem o problema da poeira, como ocorre na região de Santo Antônio da Fartura.  A reutilização do material asfáltico, traz pelos menos dois benefícios. A redução não só os de buracos quando chegam as chuvas como eliminar praticamente a poeira. 
     Estaria o prefeito disposto a colocar uma operação destas em prática nos próximos dias? Utilizaria do caixa de mais de R$ 7 milhões que recebeu da administração passada para isso?  Não somos hipócritas a ponto de deixar de reconhecer que a prefeitura andou pela zona rural promovendo melhorias em algumas estradas, mas daí para se chegar a pavimentação asfáltica, é necessário mais do que promessa e de uma indicação no legislativo.  

    Hoje, até para tapar um buraco numa rua da periferia, é preciso um “grupo fiscalizador” na cidade por a boca no trombone e o prefeito para trabalhar.   Então, caro vereador, pés no chão e devagar com o andor, que o santo é de barro! A iniciativa é louvável, mas sua execução é utópica! Oxalá, fosse para todos os moradores da zona rural, uma realidade! A única estrada rural com paver que conheci, foi numa foto da capa do álbum de "Sir" Elton John, Goodbye Yellow Brick Road há 45 anos atrás. Mas era só uma metáfora pitoresca! Paver, se vê raramente em pequenos carreadores em propriedade de políticos que ficaram milionários saqueando os cofres públicos.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!