website page view counter

Folha Regional Online

Domingo, 2 de Junho de 2024

Local

Imóvel em estado de abandono no centro de Ibiporã pertence a Associação Comercial

Entidade que engrossou fila de movimento contra "abandono" do SERI, não cuida do próprio imóvel

Ely Damasceno
Por Ely Damasceno
Imóvel em estado de abandono no centro de Ibiporã pertence a Associação Comercial
Divulgação
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

    Um imóvel em estado de abandono, tomado pelo mato e oferecendo condições para a prática de vários delitos no centro de Ibiporã, foi objeto de pedido de informação protocolado na Câmara Municipal pelo vereador Gilson Mensato na sessão de segunda-feira, dado aos reclames da população.    Entre os itens requeridos pelo vereador, como a situação fiscal e dados sobre quem é o proprietário do imóvel, oficialmente ainda não foi respondido pelo executivo.

   Mas uma fonte no setor de Tributação, informou a nossa reportagem no final da tarde de ontem que o imóvel pertence a ACEIBI - Associação Comercial e Empresarial de Ibiporã, cuja diretoria, engrossou a fila da Comissão Especial de Análise, que buscam resolver a questão do imóvel cedido ao SERI - Sociedade Esportiva e Recreativa de Ibiporã.

   Para surpresa de muitos, a entidade que assume uma condição de apoio em "propor solução" a um problema que cabe apenas ao município resolver, deveria antes de tudo dar o exemplo cuidando de seu próprio imóvel que, diante das circunstâncias levantadas acerca do SERI, não é muito diferente, considerando ainda que estão próximos um do outro. Logo os problemas sociais que oferecem são muito parecidos.

Publicidade

Leia Também:

  Assim como o SERI, o terreno da Associação Comercial tem sido alvo de reclamações dos moradores da região por, segundo eles, abriga drogados é ponto de prostituição, está tomado pelo mato e entulho de construção favorecendo a proliferação de toda a espécie de bichos peçonhentos.  Também há preocupação com possíveis focos do mosquito causador da dengue, as más condições da calçada dificultam a acessibilidade e o tapume que fecha a frente do imóvel (que é removido pelos usuários do local), oferece risco de provocar um acidente. "É o sujo falando do mau lavado", comentou a fonte da informação.

     Vale lembrar aqui que, quando a ACEIBI era presidida pelo empresário Fernando Moya de Morais, que por sinal, revolucionou a a associação uma de suas ideias era revitalizar o clube numa parceria, a qual se tornaria um centro de lazer dos associados e funcionários do comércio. A ideia não prosperou porque encontrou resistência de parte da diretoria que mantém "cadeira cativa" no comando da entidade que mantendo estreita relação com o prefeito, inclusive com nomeação de familiar em importante cargo comissionado. Logo deixa deixa dúvidas no ar.

   Será que essa comissão formada na Câmara Municipal com interesses "discutíveis", (uma vez que o caso está sob judicie), teria a mesma isenção de cobrar as mesmas providencias em desfavor da Associação Comercial numa audiência pública? Será que cobraria com a mesma veemência? Ou tudo isso não passa de mais uma politicagem barata orquestrada para atender especulação imobiliária ou segundos interesses em nome do bem estar da sociedade? Será que é só o terreno do SERI o problema daquela região? Só lá que há denúncias de prostituição, furtos de veículos, tráfico e uso de drogas; e, também, serve de esconderijo para quem pratica crimes?

    Pois é, os representantes da Associação Comercial e Empresarial de Ibiporã manifestaram preocupação pelo estado de abandono em que se encontra a área central, servindo de esconderijo para criminosos e usuários de drogas, impedindo o desenvolvimento da região e afetando todo o entorno mas não cuida de seu próprio terreno.  Pra fazer moral no quintal do vizinho, primeiro é preciso cuidar de casa. A direção do SERI já se prontificou a atender as solicitações. E a direção da ACEIBI, vai fazer o mesmo mantendo o terreno limpo e seguro até que resolva edificar ali a sua sede? Perguntar não ofende!

 

FONTE/CRÉDITOS: Folha Portal/Ely Damasceno
Comentários:
Ely Damasceno

Publicado por:

Ely Damasceno

Bacharel em Teologia Theological University of Massachussets USA 1984/1990. Jornalismo pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo. Repórter Gaz.Esportiva, Diários Associados, Estadão/SP, Jornais Dayle Post, em Boston-USA e Int.Press Hyogo-Japão

Saiba Mais
laboratório
laboratório

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!