website page view counter

Folha Regional Online

Domingo, 2 de Junho de 2024

Local

Em Operação esta manhã, Policia Civil de Ibiporã prende suspeito de homicídio em Jataizinho

Ação do Grupo Operacional da 10ª SDP, com apoio da Policia Civil incluindo TIGRE resultou em prisões

Ely Damasceno
Por Ely Damasceno
Em Operação esta manhã, Policia Civil de Ibiporã prende suspeito de homicídio em Jataizinho
Policia Civil/Divulgação
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

      Uma grande movimentação da Policia Civil esta manhã envolvendo agentes da 10ª Subdivisão Policial de Londrina, grupo tático TIGRE e agentes da delegacia de Ibiporã desencadearam numa Operação Especial em busca de "empresários" que detém CACs (Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador) suspeitos de integrarem uma organização criminosa especializada em vender armas e munições ilegais para facções.                Segundo as investigações, os alvos são suspeitos de comercializarem estas armas e registrar Boletins de Ocorrências "frios" para justificar o sumiço da armas. Três pessoas foram presas durante a operação.  Dois dos alvos foram presos a partir de mandados expedidos para operação, e um terceiro foi preso em flagrante ao ser encontrado com armas não legalizadas. 

   De acordo com a Polícia Civil, 12 mandados de busca e apreensão também foram cumpridos na operação, que além de Londrina, teve alvos em Alvorada do Sul e Sarandi. A mesma operação também cumpriu mandados em Rio do Sul e Ituporanga, cidades de Santa Catarina, onde duas pessoas foram presas em flagrante. A Polícia Civil informou que as investigações começaram em junho de 2023, quando um homem, que tinha um fuzil legalizado, denunciou o furto do equipamento, mas, na verdade, tinha vendido a arma.

   A polícia passou a investigar o caso, desta forma, chegou a uma organização criminosa suspeita de praticar o tráfico, repassando armas legais para pessoas suspeitas de cometer crimes.  Na operação desta quarta-feira, foram apreendidas armas e munições. Mais de 100 policiais civis do Paraná e de Santa Catarina participaram da operação, que contou com o apoio do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados (SFTC) do Exército. Armas e munições foram apreendidas na operação no Paraná.

Publicidade

Leia Também:

    A responsabilidade por este tipo de "autorização" está sob comando do Exército que emite licenças para Caçadores, Atiradores e Colecionadores (CACs). Investigação apontou que até condenados por crimes como tráfico de drogas e homicídios, pessoas com mandados de prisão em aberto e cidadãos que podem ter sido usados como “laranjas” foram beneficiados num esquema do crime organizado.

    O cenário está descrito em um relatório sigiloso com 139 páginas do Tribunal de Contas da União (TCU), obtido pelo Jornal O Estado de São Paulo (o Estadão), sobre o controle de armas por parte dos militares entre 2019 e 2022.  Procurado, o Exército informou ter se manifestado sobre o relatório no âmbito do processo do TCU, mas disse que não daria detalhes em razão do caráter sigiloso do documento.

  A operação local contou com cerca de 100 policiais, foi realizada simultaneamente em várias cidades da região incluindo Londrina, Ibiporã e Jataizinho.  A Justiça decretou o sequestro de bens e bloqueio de valores dos investigados, que vão responder pelos crimes de organização criminosa, comercialização ilegal de armas e munições, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, podendo pegar uma pena de até 35 anos de prisão.  Em Jataizinho, agentes da Policia Civil de Ibiporã, localizou e prendeu M.C.S, 22 anos, acusado de homicídio ocorrido em 19 de março deste ano vitimando Paulo Lucas Barbieri Soares.

    Após investigações a equipe identificou os autores e logo pela manhã, o indivíduo preso foi capturado e levado para a delegacia de Ibiporã onde após formalidades, foi conduzido a Cadeia Pública do município onde ficará a disposição da Justiça. 

NOTA DA REDAÇÃO: A Operação ora realizada, não significa que "todos" os portadores de CACs, são alvos da operação, mas alguns que já vinham sendo investigados e sob suspeita de praticar ilícitos.  Como em toda atividade, há sempre joio no meio do trigo!

FONTE/CRÉDITOS: Folha Portal/Policia Civil
Comentários:
Ely Damasceno

Publicado por:

Ely Damasceno

Bacharel em Teologia Theological University of Massachussets USA 1984/1990. Jornalismo pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo. Repórter Gaz.Esportiva, Diários Associados, Estadão/SP, Jornais Dayle Post, em Boston-USA e Int.Press Hyogo-Japão

Saiba Mais
laboratório
laboratório

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!