website page view counter

Folha Regional Online

Domingo, 2 de Junho de 2024

Local

Cresce a procura por exames de Dengue em laboratório. Situação é preocupante, diz Dra. Carolina Sacca

Dados oficiais apontam que já são 21.837 casos confirmados no Paraná. Ano passado foram apenas 2.843 casos.

Ely Damasceno
Por Ely Damasceno
Cresce a procura por exames de Dengue em laboratório. Situação é preocupante, diz Dra. Carolina Sacca
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

     O Informe Epidemiológico do Estado do Paraná (IEEP), está trazendo números alarmantes e vem de encontro o que se tem observado nos últimos dias nos laboratórios de análises em todo estado.  Em Ibiporã a situação não é diferente. Segundo a Dra. Carolina Sacca, bioquímica que responde pelo Laboratório Carlos Chagas há 38 anos, os dados são extremamente preocupantes na medida em que é crescente a procura por exames.  Segundo ela a situação exige atenção redobrada se levarmos em conta os números absurdos registrados de um ano para cá.                      Enquanto em janeiro de 2023 foram confirmados apenas 2.843 casos de dengue no Estado, no mesmo período de 2024 o número já chegou a 21.837, de acordo com o IEEP. Além de todo cuidado individual em casa, Dra. Carolina destaca a importância de intensificar as prevenções coletivas, também junto à empresas e comunidades.

    "Epidemias como a dengue geram prejuízos para a sociedade como um todo, além do comprometimento dos serviços de saúde, a economia é afetada, principalmente levando em consideração os trabalhadores que precisam se afastar de seus postos de trabalho para cuidar da saúde", observa a bioquímica.  Para a doutora, esse desfalque gera sobrecarga de outros colaboradores e perda da eficiência dos setores. Além disso, os trabalhadores, muitas vezes, precisam arcar com os custos associados com o tratamento, o que diminui seu poder de compra.

     Preocupada com a saúde da população, e diante da necessidade de ações mais objetivas do poder público, a bioquímica destaca que é importante fazer um reforço dos cuidados básicos necessários em períodos de aumento nos casos. "Intensificar campanhas também junto às empresas com a finalidade de combater outros locais de focos, menos comuns como não deixar água parada em casa, cuidar de vasos de plantas, ou cobrir os pratinhos com areia para não acumular água.  Ela ressalta que é importante ficar atento também à água parada nas calhas dos barracões industriais e nos pátios onde são armazenados matérias primas e produtos finais a serem despachados. Qualquer objeto pode se tornar recipiente para a desova do mosquito. Até mesmo uma tampinha de garrafa com água. São focos que ficam menos à nossa vista, e acabam passando despercebidos, mas podem ser criadouros do mosquito. Esses cuidados podem parecer batidos, mas é necessário sempre lembrar a população e alertar também os gestores de negócios para contribuir com as prevenções", observa.

Publicidade

Leia Também:

   Dra. Carolina destaca que as empresas também podem ser focos do mosquito, portanto é necessário um cuidado no ambiente em que está inserida. “É preciso fazer campanhas de prevenção, de modo a engajar a população, seja na comunidade ou dentro da própria empresa”, alertou e observa que alguns dos cuidados são: atenção aos serviços de limpeza nos espaços para evitar a proliferação e fazer uso de telas nas janelas para evitar a entrada do mosquito dentro dos escritórios. Ele também orienta que as empresas se interessem pela comunidade em que estão inseridas. “Ficar atento a terrenos baldios e promover varreduras nos locais do entorno da instalação pode auxiliar a engajar a população e manter a segurança no ambiente”, explica.

    "Aqui no laboratório, já estamos sentindo que estamos diante de um quadro de epidemia eminente. Percebemos isso assim como servidores que estão em campo nas unidades de atendimento do SUS que ficam sobrecarregado e quem depende delas demora para conseguir atendimento. O aumento da demanda de leitos hospitalares e atendimentos comprometem a qualidade dos serviços de saúde, isso não afeta apenas os pacientes com dengue, mas toda a população que depende do SUS. Neste sentido, as empresas manter ou contratar um plano de saúde para os funcionários pode ser uma importante ação de cuidado também", pontuou.   Os planos de saúde ajudam na distribuição de pacientes, desafogando o SUS e promovendo um atendimento de qualidade para seus contribuintes.

SERVIÇO: O Laboratório Carlos Chagas, não é posto de coleta. É uma empresa especializada e voltada a realização de exames laboratoriais com investimentos voltados a especialidades médicas para prevenção, diagnósticos precoces e tratamento de enfermidades humanas e suas consequências. Única Certificada em Ibiporã com Selo Ouro em Gestão de Qualidade e detentora de dois ISOs 9001 e 13.495 de Padrão Internacional.

FONTE/CRÉDITOS: Folha Portal/Ely Damasceno.
Comentários:
Ely Damasceno

Publicado por:

Ely Damasceno

Bacharel em Teologia Theological University of Massachussets USA 1984/1990. Jornalismo pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo. Repórter Gaz.Esportiva, Diários Associados, Estadão/SP, Jornais Dayle Post, em Boston-USA e Int.Press Hyogo-Japão

Saiba Mais
laboratório
laboratório

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!