website page view counter

Folha Regional Online

Domingo, 2 de Junho de 2024
laboratório
laboratório

Geral

Brasil perdeu um grande jornalista e publicitário

Um dos grandes profissionais que tive a honra de conhecer abrindo as portas para jovens repórteres

Ely Damasceno
Por Ely Damasceno
Brasil perdeu um grande jornalista e publicitário
Folha Portal/Arquivo
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

  É com pesar que registro aqui a morte do jornalista e publicitário Mauro Salles, aos 90 anos, no sábado (11/02), em São Paulo, em decorrência de falência múltipla de órgãos. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein desde 4 de dezembro do ano passado. Há 16 anos sofria com encefalite herpética, uma complicação neurológica. O corpo foi enterrado no domingo (12/2). Mauro deixa esposa, duas filhas, dois filhos, dez netos e dez bisnetos.      Formado em Direito pela PUC-Rio, Salles iniciou a trajetória no jornalismo na sucursal da revista norte-americana Life, no Rio de Janeiro, no começo dos anos 1950, como estagiário. Em 1954, trabalhou como repórter de política no jornal O Mundo, e integrou a equipe da recém-lançada revista O Mundo Ilustrado.

Mauro Salles, Jornalista e publicitário, faleceu aos 90 anos em São Paulo

Publicidade

Leia Também:

    Em 1955, foi para o jornal O Globo, onde permaneceu por 11 anos, atuando como repórter e diretor de Redação. Foi ainda repórter e assessor de diretoria da Rádio Globo. Teve participação direta na concepção e lançamento da TV Globo. Foi também um dos responsáveis pela contratação de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, pela Globo.
    Deixou o jornalismo em 1966 para fundar a sua própria agência publicitária, a Salles Interamericana.  No fim dos anos 70, fundou o primeiro Jornal diário em anexo à Folha de São Paulo editado em inglês dirigido a americanos e ingleses chamado Dayle Post que teve como primeiro diagramador, um grande amigo, Domingos Sávio Martins. 

   Através de Salles, este jornalista (Ely Damasceno) teve a oportunidade de ingressar na carreira do rádio nos anos 80 fazendo parte de uma nova safra de repórteres de campo no futebol paulista, ao lado de nomes como Luiz Ceará, Luciano do Valle e Elia Junior.  Também entrevistou grandes estrelas como Tônia Carreiro, Sonia Braga e Regina Duarte e outros.

     

   Mauro Salles também teve carreira na política. Foi nomeado em 1961 secretário do Conselho de Ministros do Gabinete Parlamentar do então ministro da Justiça Tancredo Neves. Em 1963, assumiu o cargo de ministro da Indústria e do Comércio. Com sua agência consolidada, nos anos 1990, Mauro Salles se dedicou à consultoria Interamericana, que teve participações fundamentais na criação da Ambev e da Braskem.

    Mauro Salles também fez incursões pelo universo lúdico da poesia, lançando seis livros. Seu poema preferido chama-se “Mudança”, no qual sugere: “Supere as amarras do passado/ lance o último olhar ao que existia/ e foi meta e conquista na paisagem”. E assim termina: “Plante a nova semente da esperança / E espere confiante a volta das flores”. Além das obras poéticas, dos feitos no mercado de comunicação, no campo empresarial e na esfera política.

FONTE/CRÉDITOS: Folha Portal/Arquivo
Comentários:
Ely Damasceno

Publicado por:

Ely Damasceno

Bacharel em Teologia Theological University of Massachussets USA 1984/1990. Jornalismo pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo. Repórter Gaz.Esportiva, Diários Associados, Estadão/SP, Jornais Dayle Post, em Boston-USA e Int.Press Hyogo-Japão

Saiba Mais

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!